segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Confesso...


Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz
Eu sou feliz...




A loucura exige do louco um estado constante de liberdade e nenhum dogma que o prenda aos alicerces morais da coletividade. Louco é um ser em solidão que não depende do outro para ser. Confesso que os loucos me atraem, porque são livres para serem o que quiser sem medo, sem pressa, sem precisar se justificar...Gosto desses seres de luz por caminharem rente ao precipício sem se preocuparem em amarrar o seu rapel. A loucura é sapiente sabe que o caminho da fuga calcifica e do espelho amadurece...


sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Mart'nália - Benditas

Se a alma tem um som específico o sonante de minha alma é essa música

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Fases como a lua




Fases...

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Cecília Meireles


Ultimamente tenho caminhado como este poema, alternando minha existência entre fases que não demoram um longo período,mas que influenciam constantemente as marés do meu humor. Não sei se sempre fui assim ou me deixei influenciar pelos acontecimentos, que teimam em suscitar entre felicidade e tristeza sem fim. Ando meio assim... entre o mundo e as verdades dentro de mim.

Confesso que andar no mundo me permite sentir outras emoções, me encontrar em outros mundos, ter novos pontos de vista. Mas, quando estou dentro consigo ouvir a mim, me perder e me afastar de tudo aquilo que fere minha retina.

Andar em solidão abre as portas para o quarto bagunçado e escuro de minha alma. Entretanto, andar pelo mundo me permite abrir minhas janelas e deixar a luz entrar iluminando tudo.

E é justamente quando as janelas se abrem que sentimos vontade de gostar de alguém, de não ser só o tempo inteiro. Tenho sentido essa vontade estranha----nem tão estranha assim--- gostar de alguém. Se preocupar, ter pra quem ligar, com quem conversar, alguém em quem pensar e principalmente alguém com quem aprender a aceitar as diferenças, discordar e continuar gostando do mesmo jeitinho, as vezes até mais.

De certo, não me refiro a esse gostar egoísta que tenho visto pelos caminhos que tenho andado...Eu quero a liberdade da lua que brilha mesmo sem o sol. Não quero depender de um status no orkut para me sentir amada ou de declarações de amor para me sentir importante. "Quero um amor maior", que não seja maior que eu ou do que eu possa ser. Apenas seja, sem compromisso ou amarras que lhe prendam ao chão. Porque eu tenho fases como a lua. Fases de andar sozinha e fases de andar pela rua...



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

,,,


Pensei que pudesse mudar esse jogo. Reverter a meu favor todas as frases ditas e compostas a tanto tempo. Usei todas as armas possíveis para que o meu olhar estivesse dentro do seu... É cansativo amar sem troca... eu fico maluca a esperar grávida de um amor prestes a abortar...Queria a completude cabível ao momento, ser dois em um. Mas, tudo que me resta são essas palavras desordenadas e sem sentido. Por que não há práxi alguma entre elas? Começo a achar que o erro é meu, ficar estacionada no mesmo lugar como burro enpacado esperando sei lá o quê. Isso vai me deixando quase louca, afinal, me dei toda pra você. Olho para o infinito e você apenas lamenta por não ser o que era...enquanto procuro saber a verdade você se preocupa apenas em mentir os fatos. Então, me diz "qual é a graça de saber o fim da estrada quando se parte rumo ao nada?"

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Fuck you

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Lascivia...






Lascivia...
         meu umbigo no teu
                    minha saliva na tua...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Viagem...

Compondo meus versos
Comprei uma passagem de primeira classe
Para o interior do interior de mim...



sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Diz, vai...

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Vaziooooo

...O vazio é um meio de transporte
Pra quem tem coração cheio...



Abriu o chuveiro permanecendo ali por um longo periodo. Sentia~se suja. Tentou não pensar no passado e nos últimos fatos. Sabia que tudo aquilo era passageiro, achou que aquele banho pudesse livra~lá do nojo que sentia do homem que um dia havia amado. De certo, não o reconhecia mais. Talvez, nunca o tivesse conhecido de verdade... eram outros tempos, eram outros sentimentos...lembrou~se das tantas vezes que durante a madrugada o procurava sobre a cama e ao encontra~lo  se sentia aliviada por saber que não era apenas mais um dos inúmeros sonhos que já tivera na vida.  Agora estava tudo diferente, pouco importava onde estava, onde passava suas noites. Mantinhasse naquela relação por não ter para onde ir. Mas que relação?Já não existia mais nada que pudessem relacionar. Nem corpo, nem alma. Nada. Seus pais moravam no interior de lugar nenhum e seus amigos estavam ocupados d+ para absorve mais este problema. Sentia  a pouca sanidade se esvaindo de seu corpo.  Achou que a melhor maneira de suportar aqueles dias seria se ausentando deste mundo.Não lia jornais, não atendia o telefone... ficava o tempo inteiro deitada no chão pensando. E mais uma vez lembrou~se que nunca na vida teve disposição para colecionar coisas, nem mesmo papel de carta, agora estava ali colecionando vazios, porque era assim que se sentia a maior parte do tempo: VAZIA...


sábado, 5 de fevereiro de 2011

Escuta...

Hoje acordei com uma vontade voraz de lhe dizer o quanto foi importante te ver de tão perto. Não tenho intenção de separar a mentira da verdade... de certo modo, tudo isso fazia parte desse nosso acordo afetivo. O amor que lhe ofertei a mais foi por minha conta. Sabia desde sempre que não poderia prendê~lo junto a mim. Ainda assim, tentei  lhe colocar numa redoma de vidro queria te mudar, te salvar. Não se aborreça com isso, deve ser o meu excesso de leitura. Quando era pequena adorava o cuidado que o pequeno príncipe tinha com a sua rosa. Só havia esquecido  do sofrimento causado a rosa, quando ele pensou que assim a protegeria do mundo, de tudo. Nunca pensei que um dia amaria alguém  como te ameii,=====provavelmente, amarei outras vezes e terei a mesma sensação=====Agora, fica apenas essa saudade de tudo que passou, do que ainda virá...Estou aprendendo a duras penas viver sem seus olhos caramelos, estou indo bem. Pelos menos, passei a acreditar nisso, para dar mais força, para ser possível seguir em frente. Desculpe~me por ter ido embora sem pronto aviso, mas precisava buscar outros amores, porque o seu já não me bastava.  Enquanto procuras não se curvar ao amor, vivendo esses repentes superficiais... fico aqui, cruzando meus medos, esperando que alguém me encontre...sem pressa. Corri d+ nessa vida, errei feio, me senti usada tantas vezes, perdi o juizo, perdi a guerra,  gastei meu tempo...nada disso  conta como derrota. entendi que na vida tudo que passa virá conceito, conselhos da própria vida. Ah, não me entenda mal, faz muito tempo e eu só precisava lhe dizer que o meu amor não foi engano...apenas teve seu tempo.







sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Pés no chão

Agora que acordo dos meus sonhos, já posso calçar meus sapatos...
Lá fora a vida não parou para me esperar
Estrela nos pés
Sujeira na sola

Ainda há muitos caminhos a percorrer...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Term of Use

Observar é interessante, comentar é obrigatório

Breves linhas

“Seja você quem for, agora, segurando a minha mão, sem uma coisa há de ser tudo inútil_ é um leal aviso que lhe dou, antes que continue a me tentar_ não sou aquele que você imagina, mas muito diferente. “ ---Walt Whitman----