sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Reticência...







Gosto de reticências, ponto final é tão doloroso...




quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Flerte...


Sentou-se a beira do abismo, cruzou as pernas e olhou lá para baixo.Tentou definir se o que sentia era vertingem ou apenas um flerte com o perigo. Sentiu saudade de muitas coisas, de tantas pessoas. Lembrou-se de quando era pequenas e o mundo lhe parecia tão gigante. Agora, presa a rotina diária já não via graça em nada. Aqueles dias eram sempre muito iguais e levantar da cama se tornou cada vez mais irreal. Sua realidade era dura e estática., o que lhe fazia perder completamente a razão. Chorava por horas como se chorar lhe garantisse lavar as paredes internas de toda aquela merda fétida em que se resumiam seus afetos. Não entendia os rumos que lhe fizeram chegar até ali; a perda, a falta, os tapas? Sabia que era uma questão de tempo deixar o esconde-esconde de lado e partir para algo mais animado, quem sabe roleta russa seria o caso. Se bem que já fazia isso, quando desistia dos seus planos usando aquelas velhas desculpas de sempre...sempre deixou que alguém conquistasse o impossível por ela. Definitivamente não era aquele o dia em que mudaria os  rumos do seu sofrer. Levantou-se do chão, ergueu os braços e se jogou...  a escuridão daquele abismo lhe parecia familiar e nada mais apropriado que deixar tudo em seu lugar...mudar dá trabalho e no começo é ainda mais penoso que todas as feridas em carne viva que alguém possa carregar..

.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Temor

No meio daquela confusão afetiva ainda batia um coração in natura...




segunda-feira, 26 de setembro de 2011


"Solteira? Que nada, estou seguindo carreira solo com participações especiais!"


domingo, 25 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Porrada

È estranho como desafetos atuais nos fazem lembrar dores antigas.
Que mundo é esse meu  Deus onde  até as porradas são cicladas...




sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Até quando...

Já sem força, perguntou ao coração:
- Até quando você vai ficar levando porrada,
até quando vai ficar sem fazer nada?



terça-feira, 20 de setembro de 2011

segunda-feira, 19 de setembro de 2011


domingo, 18 de setembro de 2011

Miedo...

O medo é uma linha que separa o mundo
O medo é uma casa aonde ninguém vai
O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar
                                  ( Lenine)




Clara sempre viveu soterrada sob seus sentimentos. Ora amava d+, ora amava de menos. Sua vida era uma expressão irracional, sempre diante do mesmo ponto: a espera de alguém que lhe juntasse o que estava disperso, embolado. Suas urgências não eram resumidas a ausências, porque na vida não lhe faltava muito. Entretanto, por baixo da caixa toráx, lá onde ninguém sem permissão conseguia ver, havia uma bagunça instalada que sempre lhe empurrava a sentir por um o que deveria sentir pelos outros... como se o ato de sentir estivesse sempre empregnado por um destino avassalador predestinado ao sofrer. Isso lhe causava pesares e dias tão sombrios como os silêncios que constantemente lhe acometiam os dias. Passou a não querer, pois, querer não tinha mais nada de lindo e feliz como os contos da carochinha. Querer era viver entre a linha tênue que habita todos os sentimentos contrários. Já não percebia, mas o medo, antes parte,agora lhe preenchia todos os espaços. E  mesmo se debatendo entre o desejo de se resolver e a vontade de deixar tudo como está, percebeu  de sopetão que entre todas as variações o seu  MEDO era o de  não corresponder as expectativas.


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Fofoca Erudita JUJUBAS


Bota pra fora o que há de ruim,
não pense mais no que não foi
deixa a tristeza pra lá ahh
essa descrença no amor

marrá aah aah ai e abitubaiê

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Caixa Mágica


Ah... queria te escrever umas linhas só para deixar registrado o desejo de lhe ter desvelando meus segredos. Pode ser que dure muito ou só um pouquinho. Vai saber o que é eternidade...pra mim eterno é tudo aquilo que ao terminar fica grudado no peito feito cera quente, e se vc tenta tirar sente latejar e doer. Não se preocupe não é amor, não é paixão.... é um misto de sei lá o quê. Das certezas que teço nesse momento só mesmo essa vontade de deixar a porta aberta e bordar um caminho de estrelas que a ultrapasse. Quero te ver caminhando entre os meus abismos, sem resgate. Quero apenas te mostrar quem sou de verdade. De certo, talvez seja assim que os amores nasçam, no momento em que nos permitimos ser. As dores? Deixei pra lá. Porque no fundo todo mundo é uma caixa mágica escrito: abra-me se for capaz. Não se trata de uma questão de força,vontade, desejo, intensidade....basta apenas tocar o ponto certo para que a caixa se abra sem meias delongas, sem muito trabalho...vc tocando minha alma de um modo sui generis Foi assim que chegamos até aqui...

domingo, 11 de setembro de 2011

...

Acordei com aquela bendita palavra no canto dos lábios  tentando de todas as maneiras fazer parte do mundo. Desejando ser : a verdade, a mentira, o extremo,o meio, o inicio, o fim. Grudada pela calda, debatia-se no fundo da garganta. Queria sair, queria ser para mim, para você. Expandia-se como o ar quente dos balões. transbordando de cor aquela manhã de domingo. Os olhos que eram tristes, ficaram vivos. A pele opaca, ficou laranja, rosa, lilás, amarela...que  bendita palavra era essa? Era desejo imbuído  no desconhecido desconcertante, era a vontade alheia aos grilhões que ainda me prendiam ao chão...me debatia, me contorcia enquanto aquela palavra no canto da boca crescia...


Eu!!!

  Recebi esse texto de uma amiga muito querida. Resolvi postar porque elamelê e o texto nem se parece comigo. kkkk E só para deixar registrado, queria lhe dizer que é sorte...pura sorte ter vc e eles ao meu lado... Oh, destino que sincronicidade é essa.


'Eu não sou legal, não mesmo. Acho que sempre tenho razão e quando minhas previsões dão certo olho com a cara mais abominável do mundo, dou um sorriso irônico e falo o clássico eu-te-avisei. É que, em geral, eu tenho razão. Essa é a primeira –e mais importante – coisa que você precisa aprender a meu respeito. (...) Não sei receber elogios, fico sem saber o que fazer, me atrapalho e acabo trocando de assunto – quando não troco as pernas e tropeço em algum canto de mim. Sorrio para disfarçar desconfortos. Se eu não gosto de você é bem provável que você tenha medo do meu olhar. E eu posso simplesmente não gostar de você de graça. Se eu gostar de você aviso de antemão que você é uma pessoa de sorte. Eu me entrego. Quem vive comigo sabe. Quem convive comigo sente. Eu amo poucos. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito.'

Clarissa Corrêa



PS: Te amo infinito, pessoinha. Ah, nem falo mais eu te avisei.Basta olhar. kkkk

sábado, 10 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

...

Não espere de mim equilibrio. Tenho a alma livre da criança  preste a descobrir os sentidos., o gosto, o som... quero ir além da cor, do tempo, do espaço...quero o riso em gargalhada, daquelas que fazem doer a barriga e demoram horas a serem desfeitas. Estou tentando não pensar em nada que exija de mim qualquer pragmatismo. Desordem e simplicidade é o que busco.  Sem holofotes, racionalidade, complicação, escravidão...Quero a servidão, servir a mim...aos meus pequenos desejos e vontades. Não te deixarei sozinha entregue ao meu egocentrismo, pelo contrário,se quiser poderá estender a cama na varanda ao meu lado. Só não espere a socialização dos meus pensamentos, da minha verdade. Por hoje, só compartilharei contigo a vastidão desse  céu estrelado.




Aprenda a olhar para dentro de si mesmo com sinceridade
e então poderá ser sincero com as outras pessoas.
 - All mixed

Term of Use

Observar é interessante, comentar é obrigatório

Breves linhas

“Seja você quem for, agora, segurando a minha mão, sem uma coisa há de ser tudo inútil_ é um leal aviso que lhe dou, antes que continue a me tentar_ não sou aquele que você imagina, mas muito diferente. “ ---Walt Whitman----