terça-feira, 26 de outubro de 2010

Solidão

Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
E esperam que eu cante como antes
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
Mas um dia eu consigo resistir
E vou voar pelo caminho mais bonito
---------Legião Urbana-------------

Fechou a porta do quarto. Seguiu em silêncio até a cama. Não entendia todo aquele vazio, estava cansada de tentar entender tanto desapego. Fechou os olhos e tentou se concentrar em algo bom. Lembrou-se dos dias quentes de verão e como era bom tomar sorvete depois de nadar. Abriu os olhos e não viu nada além do ventilador girando, girando sem parar. Pensou nas voltas que o mundo dá, mas não conseguiu se libertar dos últimos acontecimentos. Sabia que jamais se esqueceria. Tentou levantar-se, ir até o banheiro buscar algo que pudesse livrá-la de tanta dor. Estava fraca, daria muito trabalho fazer todo o caminho de volta e não desejava que aquela dor se estendesse mais.  Considerou a dor e desistiu. Ergueu-se da cama separou 12 motivos e os engoliu a seco um por um. Refletiu sobre o que diriam. Todos falariam que estava louca, doente...Conhecia de perto o julgamento alheio, tinha certeza que por muito tempo seria o tema central dos jornalecos cotidianos.Tanto faz, nada mais importava, queria apenas que chegasse ao fim. Levantou-se , foi até o espelho, pegou seu batom preto e em Caps look gritou pela última vez : ERA APENAS SOLIDÃO... 




segunda-feira, 25 de outubro de 2010



quinta-feira, 21 de outubro de 2010


quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A mesma dor nunca é a mesma...



quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Porcas Borboletas

Tem Gente
Tem gente que lê thomas robbes
tem gente que fuma cannabis
tem gente que hora pra nozes
tem gente que da o forevis

mais eu não sei
o que fui sou, se serei
vou la, vou cá
vem sendo livre vai vem, viver, tentar

Porcas Borboletas

segunda-feira, 11 de outubro de 2010




Hoje até que me faria bem ouvir um pouco das tuas breguices.Costurar tuas frases em meus retalhos  só para aquecer-me nestes dias tempestuosos. Faz dois dias que me levanto com os dois pés esquerdos.Até me peço calma, peito aberto, primavera nos olhos.Não dá, ainda carrego aqui dentro aquelas tardes cinzentas de inverno, quando o dia vai escurecendo até o fim da tarde se perder no breu. É, ando carregada de nada, cheia da morbidade das noites sem estrelas. Ando questionando até voô de beija-flor...o teu ninho não me choca, minhas porcas borboletas já não enchem o mundo de amor. Sinto muito, mas já não sinto nada. E tu ainda me dizes pra esperar os milagres, me concentrar nos pequenos detalhes. Meu caro, a vida é assim, uma caixinha de surpresas sem fadas e magos. Crê, há de acontecer.Não pra mim, nem pra vc.




domingo, 10 de outubro de 2010

Não enche...

Não reclame se meu cuspe lhe atingir
Não sou culpada
por te colocares tão a frente
Entenda...
Estou cheia desses teus despropositos
dessas frases sem contexto
textos...
subtextos...
Teimas
Recuo  diante do muro
O que pensas?
 È só para pegar impulso...
Tolo, tosco...
daqui por diante
Viverei sem você...


sábado, 2 de outubro de 2010

" sua face é um espelho sem promessas"



sexta-feira, 1 de outubro de 2010

uhum

Term of Use

Observar é interessante, comentar é obrigatório

Breves linhas

“Seja você quem for, agora, segurando a minha mão, sem uma coisa há de ser tudo inútil_ é um leal aviso que lhe dou, antes que continue a me tentar_ não sou aquele que você imagina, mas muito diferente. “ ---Walt Whitman----