sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Cartinha póstuma

Moça bonita sem laço de fita, queria que você fosse aquela metamorfose ambulante sempre mudando, sempre deixando de ser. Já vi que não dá, teu lance é juntar a família e no domingo dar comida aos macacos. Então, vá. Só que antes, minha flor vê  se deixa alguém plantar um carinho nesse teu peito inquieto. Entenda, não estou articulando com o conhecido, Quero apenas que vc compreenda que as vezes é preciso aceitar o amor do jeito que está posto. Nada além...se é o que te cabe ao caminho nesse momento. Faça dessa a melhor estrada. São os medos que nos dão medo e nos confudem. Não é o outro e sua utopia desvairada. Por isso, eu prefiro sempre ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo . sobre o que é o amor.

Viva viva viva mesmo que a opção não seja alternativa.
Belê

4 comentários:

  1. Passei pra te desejar uma noite maravilhosa e para agradecer todas as vezes que você carinhosamente esteve visitando meu blog.
    Espero que volte em breve...

    Beijos
    Ani

    http://cristalssp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Quantas vezes pomos pra fora, pintamos as paredes à nossa volta, para acreditarmos melhor no que há cá dentro.
    ^^

    ResponderExcluir
  3. Tantas quanto forem necessário. kkkkk

    ResponderExcluir

Term of Use

Observar é interessante, comentar é obrigatório

Breves linhas

“Seja você quem for, agora, segurando a minha mão, sem uma coisa há de ser tudo inútil_ é um leal aviso que lhe dou, antes que continue a me tentar_ não sou aquele que você imagina, mas muito diferente. “ ---Walt Whitman----